H

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Junji Abe - Dia Nacional da Cultura e o Dia Nacional da Língua Portuguesa. - Há três objetivos distintos para o hábito de ler: ler por prazer, ler para estudar e ler para informar-se.

 


Sempre gostei de ler. Quando criança, tudo era mais difícil. À luz de velas e, na roça, com acesso restrito às obras literárias. Veio a modernidade. 

A maioria das pessoas, contudo, não aproveita essas facilidades. Muitos, sequer, veem posts com mais de duas linhas. Há três objetivos distintos para o hábito de ler: ler por prazer, ler para estudar e ler para informar-se. 

É uma prática que precisa ser cultivada desde a infância. 

Enquanto prefeito de Mogi das Cruzes, além de colocar bibliotecas multimídia em todas as escolas, criamos as bibliotecas comunitárias. 

Foram mais de 20 em diferentes bairros, instaladas e mantidas em parceria com entidades sociais. 

A comunidade participava diretamente do processo de difusão do conhecimento, ao passo em que convivia, de graça, mais e melhor com os livros. 

Pena que o projeto acabou. Em especial, na recessão econômica, que detona o poder aquisitivo, causando até o fechamento de lojas das tradicionais redes de livrarias Saraiva e Cultura. Ler bons livros é mais que um ótimo passatempo. 

É fonte inesgotável de conhecimento. A boa leitura estimula o ânimo, a criatividade, a capacidade de discernimento, o desenvolvimento de práticas saudáveis e a fixação de metas para a vida diária, além de aprimorar o vocabulário e ajudar na construção textual, entre outros benefícios. 

Quem não lê, nunca escreverá bem. 

Isto talvez explique o temor generalizado dos estudantes com as provas de redação. Faço essas reflexões na data em que se comemora o Dia Nacional da Cultura e o Dia Nacional da Língua Portuguesa. 

Valorizemos a leitura, base não só para a educação, mas também para uma sociedade mais igualitária, liberta e fraterna! #LerMais #ViverMelhor

Nenhum comentário:

Postar um comentário